Cursos de Graduação

Imagem Ilustrativa do Curso

Tecnologia em Papel e Celulose


O Tecnólogo em Papel e Celulose planeja, executa, controla e avalia processos relativos à fabricação de papel e celulose; realiza estudos, ensaios e experimentos sobre a matéria-prima e a transformação físico-química de materiais destinados a essa fabricação, além de planejar e supervisionar as operações de transformação química dos materiais empregados nesse setor produtivo, considerando o controle de resíduos poluentes, o gerenciamento dos custos e a qualidade do processo.

Formar profissionais com conhecimento técnico-cientifico nas áreas de conhecimento da tecnologia celulósico-papeleira, desenvolvendo a capacidade de gerenciamento, pesquisa, solução de problemas e tomada de decisões, buscando inovação tecnológica e a preservação ambiental. Em especial, o Curso de Tecnologia em Papel e Celulose disponibilizará profissionais capazes de:

  • Proporcionar aos estudantes formação técnico-científica e gerencial nas áreas de conhecimento da tecnologia celulósica-papeleira;
  • Capacitar profissionais de áreas afins para atender às demandas do mercado de trabalho nas áreas de ensino, pesquisa, gestão de processos e a produção de bens e serviços;
  • Incentivar o desenvolvimento da capacidade empreendedora e da compreensão do processo tecnológico, em suas causas e efeitos;
  • Incentivar a produção e a inovação científico-tecnológica,e suas respectivas aplicações no setor celulósico-brasileiro;
  • Intensificar a parceria Universidade-Empresa no contexto do ensino, pesquisa e extensão;
  • Propiciar a compreensão e a avaliação dos impactos sociais, econômicos e ambientais resultantes da produção, gestão e incorporação de novas tecnologias;
  • Promover a capacidade de continuar aprendendo e de acompanhar as mudanças nas condições de trabalho, bem como propiciar o prosseguimento de estudos em cursos de pós-graduação;
  • Adotar a flexibilidade, a interdisciplinaridade, a contextualização e a atualização permanente dos cursos e seus currículos;
  • Garantir a identidade do perfil profissional de conclusão de curso e da respectiva organização curricular.

O mercado de trabalho para este profissional se estende às fábricas e indústrias de papel e celulose que realizam qualquer ou todas as etapas do processo de produção. Além disso, com a confirmação dos benefícios da reciclagem, novas portas nesse meio foram abertas para profissionais capacitados, que realizem atividades como implantação e coordenação de projetos de reciclagem.

O Tecnólogo em Celulose e Papel poderá atuar nas seguintes áreas:

  • fábricas de celulose, papel, papelão e embalagens;
  • fábricas para conversão de papeis (cadernos, pastas, blocos, agendas);
  • fábricas de papeis para fins sanitários;
  • fábricas de papéis especiais (papéis de fax, filtros, papéis para cigarros, termocopiativos, etc.);
  • oficinas de papel artesanal;
  • empresas de manutenção, engenharia e consultoria em processos;
  • vendas técnicas de insumos, máquinas e equipamentos para industrias de celulose e papel; indústrias gráficas (imprensa, jornais, editoras, agências publicitárias);
  • órgãos ambientais e institutos de pesquisas;
  • docência.

A indústria de celulose e papel envolve não só as empresas que fabricam produtos usados para escrita e impressão, mas também as que produzem papéis para fins sanitários, fotográficos, papel-cartão e papel para embalagem (ondulado). O setor está entre os maiores clientes da indústria química, por consumir anualmente milhões de toneladas de seus produtos.

Embora as fibras também possam vir de folhas e frutos, é do tronco que se extrai a celulose usada na fabricação do papel. Logo que chega às fábricas, a madeira é cortada e submetida a processos químicos em reatores chamados de digestores para se obter uma polpa marrom, a polpa de celulose.

Dependendo do seu destino, ela ainda passa por operações de lavagem, peneiramento e branqueamento. Se a própria indústria que extraiu a celulose fabrica o papel, ela pode dispensar a secagem e usar um sistema de tubulação para conduzir a massa celulósica diretamente para a refinação. Nos casos em que a celulose é vendida para outras empresas produzirem o papel, no entanto, serão imprescindíveis a secagem e o enfardamento.

As propriedades do papel são resultantes de interações de um grande número de fatores, tais como: fibras ou misturas de fibras usadas; processo de obtenção da pasta celulósica; matérias-primas não fibrosas; tratamento térmico; preparação da massa e processo de formação da folha. Estas variáveis devem ser ajustadas por um profissional qualificado para que se obtenha um produto com as propriedades desejadas.

Certas características do papel, como, por exemplo, a resistência à umidade, só podem ser obtidas com a adição de aditivos químicos. Estas propriedades são afetadas tanto com a incorporação dos aditivos na massa quanto na aplicação do produto no revestimento.

 

Ato Regulatório: Portaria de Reconhecimento DOU nº 430 de 29/07/14

Duração:6 semestres

Período:Diurno - Noturno

Carga Horária: 3.060h

Vagas: 160

Habilitação: Tecnológico


conteudo auxiliar